Valter Araújo discute PCCS e terceirização com dirigentes do Sindsaúde

PTB Notícias 29/09/2011, 9:09


O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado Valter Araújo (PTB), discutiu na tarde desta quarta-feira (28/09) a implantação dos Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) e terceirização na saúde.

Ele se reuniu com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado de Rondônia (Sindsaúde/RO), Caio Marin; o diretor de Assuntos Jurídicos, Jerrimar Montenegro, o presidente do Sindicato dos Médicos de Rondônia (Simero), Rodrigo Almeida e o assessor jurídico do Sindsaúde, advogado Pedro Wanderley.

“Quero assegurar aos servidores da saúde que chegando na Casa, o PCCS será aprovado na mesma semana.

Basta o Governo encaminhá-lo, já acordado com os servidores, que os deputados irão aprová-lo de imediato”, assegurou Valter.

Caio Marin manifestou preocupação com a proposta do Governo de terceirização da mão-de-obra na área de saúde, através de Organizações Sociais (OS).

“A terceirização é apresentada como salvação pelo Governo, mas isso precisa ser analisado previamente.

A categoria rejeita esse modelo”, disse.

Valter Araújo foi além: “não vejo essa terceirização como eficiente, como a salvação, mas sim uma ação que vai aumentar os gastos na saúde.

E o pior: perde-se o controle externo desses gastos, além da questão dos servidores”.

Rodrigo Almeida manifestou a sua preocupação com a ideia que o Governo passa à sociedade, de que a saúde não funcionaria por culpa dos servidores da pasta.

“Pelo contrário, os servidores se dedicam às suas funções, trabalhando em ambientes insalubres e sem estrutura”, observou.

O presidente sugeriu que seja realizada uma audiência pública, na Assembleia, para reunir todos os sindicatos e entidades, para discutir a terceirização.

A sugestão foi acatada e no começo de outubro deverá ocorrer.

“Vamos debater a questão e ao final, fecharmos uma contra-proposta, um caminho, uma sugestão alternativa para a terceirização, que não agrada a ninguém”, finalizou Valter Araújo.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal Impacto Rondônia