Valter Araújo ressalta aprovação do novo Código Florestal Brasileiro

PTB Notícias 1/03/2011, 8:51


Em defesa da classe produtiva do Estado de Rondônia, 21 deputados estaduais participam nessa terça-feira (1º de março) e amanhã (2/3), do movimento em defesa da aprovação do novo Código Florestal Brasileiro.

O deputado Valter Araújo (PTB), presidente da Assembleia Legislativa falou da importância dos membros do Parlamento Estadual rondoniense comparecerem em Brasília para fortalecer o movimento.

Ainda não haviam sido confirmadas a presença dos deputados Maurão de Carvalho (PP), Jaques Testoni (PP) e David Chiquilito (PC do B).

Os deputados Valter Araújo (PTB), Luiz Cláudio (PTN), José Hermínio (PT), Jean Oliveira (PSDB), Epifânia Barbosa (PT), Ana da Oito (PT do B), Saulo Moreira (PDT), Adelino Follador (DEM), Edson Martins (PMDB), Euclides Maciel (PSDB), Flávio Lemos (PR), Glaucione Rodrigues (PSDC), Jesualdo Pires (PSB), Eurípedes Lebrão (PTN), Luizinho Goebel (PV), Marcelino Tenório (PRP), Neodi Carlos (PSDC), Ribamar Araújo (PT), Valdivino Tucura (PRP) e Zequinha Araújo (PMDB) se deslocaram nesta segunda-feira a capital federal.

Na semana passada, o deputado Luiz Cláudio, presidente da Comissão Permanente de Atividades Agropecuária e Pesqueira (CAAPE) da Assembleia Legislativa repudiou a atitude do deputado federal Sarney Filho (PV-MA) que coordena a Frente Parlamentar Ambientalista que usou os maiores jornais do pais para condenar o novo Código Florestal Brasileiro.

“Ele não conhece a realidade da região norte.

Rondônia hoje é o maior produtor de leite e o 4º produtor de café do país, além de abastecer a Região Nordeste com feijão e milho, destacando-se também como produtor nacional de cacau, café, arroz e soja.

O que o deputado federal não percebe é que com as imposições aos produtores poderemos incorrer na falta de alimentos no futuro”, destacou.

Os deputados rondonienses inclusive querem implantar o Código Florestal de Rondônia, como aconteceu no Estado de Santa Catarina, com um código realista com dados oficiais eficientes.

Para os parlamentares, os inimigos de Rondônia são os ambientalistas e o Estado não tem um código florestal, mas sim um código ecológico, que impede os produtores de trabalhar.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações da ALE/RO – DECOM