“Vamos potencializar o legado do Eduardo Teixeira”, afirma Débora Darcin da Silva, nova presidente do PTB de Foz do Iguaçu

Felipe Menezes 24/08/2020, 10:09


Imagem Crédito: Arquivo pessoal/Divulgação

A trágica e precoce morte de Eduardo Teixeira, de 44 anos, ocorrida no Dia dos Pais, devido a um acidente de parapente, deixou o Partido Trabalhista Brasileiro desolado e com uma lacuna insubstituível. Petebista há quase três décadas, Edu de Foz, como era carinhosamente chamado pelos companheiros da legenda, era respeitado por todos e conhecido pela habilidade e vitalidade ímpar com que tratava as pessoas e as questões políticas, todas visando o crescimento do PTB, seu único partido e que pelo qual lutou com amor, seja em âmbito municipal, estadual ou nacional. Como definiu o presidente Roberto Jefferson, na nota de pesar da sigla: “Foi um líder nato”.

Agora, com a partida de Eduardo, coube à família, principalmente sua mulher, Débora Darcin da Silva, de 45 anos, a potencializar o legado valoroso dele à frente do PTB de Foz do Iguaçu e da coordenação na região Oeste do Paraná e, assim, fazer com que a sigla possa colher frutos nas eleições municipais de 2020 e nas gerais de 2022. Porém, a mais nova dirigente não está sozinha nessa árdua missão. 

Em entrevista ao site do PTB, Débora afirmou que, mesmo tendo conhecimento das atividades realizadas pelo marido, pois participou de todas ao lado dele, o respaldo que vem recebendo, sobretudo de Roberto Jefferson, do primeiro-secretário Norberto Martins, do presidente do PTB do Paraná, Alex Canziani, da deputada Luísa Canziani e de Nelsinho Padovani, foi fundamental, pois deu a ela e a todo o grupo de Foz e região a confiança necessária para prosseguir com o trabalho alicerçado por Eduardo.

“Apesar do baque, da tristeza e da saudade, esse apoio fez a diferença para que não somente eu, mas todos nós pudéssemos nos reerguer rapidamente e redobrássemos nossa garra e dar continuidade ao projeto”, destacou. “Posso não ser ligada no 360 [velocidade na qual Eduardo gostava de voar], mas vou honrar o trabalho que o meu marido construiu e que, com certeza, gostaria que tocássemos adiante. É como ele dizia diariamente: ‘estamos juntos até depois do fim’. Unidos, vamos fazer com que nossas propostas vençam e, assim, cada vez mais, possamos tornar o PTB no maior partido de Foz do Iguaçu e da região Oeste do Paraná”, enfatizou. 

Em Foz, o PTB vai realizar em 12 setembro, quando Eduardo Teixeira faria 45 anos, a convenção para oficializar os nomes dos 23 petebistas que concorrerão a vereador. Já a prefeito, o partido disputará em Cascavel, com Nelsinho Padovani; em Medianeira, com Cid Marques; em Santa Terezinha de Itaipu, com Claudeir Costa, entre outras da região Oeste. A vice-prefeito será, por exemplo, em Santa Helena, com Lauro Celso; e em Itaipulândia, com Ramil.

Segundo Débora, o trabalho projetado por Eduardo e por ela não visa somente as eleições deste ano. Além de ampliar e fortalecer a representação municipal no Oeste do Paraná, as ações também têm foco na construção de pré-candidaturas e propostas competitivas para o pleito de 2022. De acordo com a dirigente, a meta é eleger, no mínimo, um deputado estadual e um federal da região.

“Além da família e do ar, o terceiro amor do Eduardo era o PTB. Então, eu, as nossas filhas [Maria Eduarda, 22, e Maria Victória, 16], a nossa executiva municipal, os nossos pré-candidatos e todos os amigos da família PTB de Foz e da região Oeste não vamos somente dar seguimento ao que ele construiu com dedicação e de forma única, mas também potencializar esse legado agora e no futuro. Além de aumentarmos a nossa representatividade, nos comprometemos a trabalhar por propostas que propiciem o desenvolvimento social e econômico dos municípios, levando-os rumo ao caminho da prosperidade, com mais oportunidades de emprego e de bem-estar aos paranaenses. Tenho certeza que é isso que o Edu gostaria que fizéssemos em sua homenagem”, concluiu Débora Darcin.