Vera Castelo Branco discute discriminação da mulher no mercado de trabalho

PTB Notícias 10/03/2014, 17:12


Deputada Vera Castelo Branco foi a autora da Audiência Pública que discutiu a discriminação da mulher com idade acima de 40 anos no mercado de trabalho.

(Fotos: Elisa Garcia Maia/Aleam)O plenário Ruy Araújo, da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) foi o cenário, na manhã desta segunda-feira (10/03/2013), utilizado pela deputada estadual Vera Castelo Branco (PTB), 2ª Secretária da Mesa Diretora, para discutir a discriminação de mulheres com idade acima de 40 anos no mercado de trabalho.

Segundo a deputada o número de mulheres desempregadas nunca foi tão alto em todo o mundo quanto agora, mesmo apesar do aumento da participação feminina no mercado de trabalho, a maior dos últimos dez anos.

“O desemprego entre as mulheres atinge hoje, 81,8 milhões de mulheres no mundo, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT)”, disse.

O número absoluto de mulheres no mercado de trabalho nunca foi tão alto e, isso, se deve em grande parte à discriminação de mulheres com idade acima de 40 anos, no mercado de trabalho, por parte das empresas do comércio e da indústria, principalmente, em nosso Estado, em particular no Polo Industrial (PIM), da Zona Franca de Manaus (Suframa).

“Diante dessa triste realidade é que resolvemos promover esse encontro no dia de hoje, entre os diversos segmentos sociais, pertinentes e, principalmente, representantes dos dois polos, ativo e passivo, empregadores da indústria, comércios e serviços, assim como, trabalhadores potencialmente empregados”, justificou.

O representante do Sindicato dos Vendedores Autônomos e Prestadores de Serviços (Sivam), Franquelino Encarnação, destacou a mulher como uma pessoa que passa por uma infinidade de problemas sendo estilizada como a rainha do lar, neste mesmo lugar onde ela sofre a violência física, psicológica e sexual e muitas das vezes é morta por questões passionais.

“Ao lutar por seus direitos e igualdade, ela passa mais uma vez a ser novamente vitimizada ao ser discriminada, deste modo, no mercado de trabalho”, afirmou.

Como resultado dessa audiência ficou decidido fazer encaminhamento de um Projeto de Lei para dar utilidade pública estadual à Associação das Promotoras Legais do Estado.

“Com isso, futuramente, a associação poderá receber emendas de parlamentares, firmar convênios com os governos para que tenham recursos para dar destinação aos objetivos sociais a que se propõem.

Será pedido, ainda, a esta Casa que produza CDs a respeito do que foi tratado nesta audiência para que possamos encaminhar e cobrar dos órgãos e entidades que deveriam estar e não compareceram atitudes concretas contra o que vem ocorrendo”, salientou Vera.

Outra situação a ser apresentada será a criação de um disk-denúncia para fins de fiscalização de situação discriminatória tanto da mulher como de homens no mercado de trabalho.

“Essa proposta deverá ter ampla divulgação para que obtenha êxito contra essa prática discriminatória”, destacou a parlamentar.

A audiência foi presidida pelo deputado e vice-presidente da Assembleia, Belarmino Lins (PMDB) e contou ainda com a participação da assessora da Rede Mulher (SEAS), Anabel Santos Batista; da presidente da Associação de Mulheres Promotoras Legais Populares, Auzira de Souza Nogueira; da presidente do Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Amazonas, Suely Moraes.

fonte: Assembleia Legislativa do Amazonas