Vera Castelo Branco pede implantação de Sapem em Benjamin Constant

PTB Notícias 19/04/2014, 6:45


Preocupada com a situação de mulheres e seus filhos vítimas de violência doméstica e familiar, a deputada Vera Castelo Branco (PTB-AM) apresentou à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), nesta semana, encaminhamento de expediente de indicação ao governador José Melo (PROS) e à secretária de Assistência Social (Seas), Regina Fernandes, para que viabilizem estudo técnico para implantar o Serviço de Apoio Emergencial à Mulher (Sapem), no município de Benjamin Constant.

A deputada explica que o Sapem é um programa do governo do Estado que atende e acolhe a mulher e seus filhos vítimas de violência doméstica e familiar.

Funciona 24h, inclusive nos fins de semanas e feriados, oferecendo atendimentos psicológico, social e jurídico à mulher.

“Trata-se de uma iniciativa louvável e imprescindível para o desenvolvimento humano de qualquer região afetada pela violência doméstica e intrafamiliar.

A expansão desse modelo bem-sucedido de programa ao interior seria muito valiosa, considerando-se os níveis crescentes de violência doméstica no Amazonas”, informa a parlamentar.

Vera Castelo Branco afirma que a violência contra a mulher já é um problema universal que atinge milhares delas e em grande número, de forma silenciosa e dissimuladamente.

Trata-se de uma ameaça crescente que não costuma obedecer nenhum nível social, econômico, religioso ou cultural específico e que deve ser coibida.

“A importância da proposta é relevante sob dois aspectos: primeiro, devido ao sofrimento indescritível que imputa às suas vítimas; segundo, porque, comprovadamente, a violência contra a mulher chega a destruir seus sonhos e impede o bom desenvolvimento físico e mental da vítima”, explicou.

Além de todos os problemas comuns à problemática de violência contra a mulher,Vera Castelo Branco destaca que, na maioria dos casos, elas não contam ainda com setores, núcleos, departamentos ou unidades de assistência direta às vitimas desse tipo de violência e sofrem quase sozinhas, ou, no máximo, recebem insignificantes orientações e apoios pífios para a superação das crises que isso traz.

“Nesse sentido, essas unidades de serviço e apoio às mulheres vítimas da violência doméstica e sexual nortearão diretrizes de novas políticas públicas de atendimento, além de servir de “agentes reconstrutores” da vida feminina, auxiliando direta e efetivamente na superação e no recomeço da história dessas mulheres”, salientou Vera.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria da Deputada Vera Castelo Branco (PTB-AM)Foto: Divulgação