Vera pede centro especial de atendimento ao autista no Careiro da Várzea

PTB Notícias 7/06/2013, 15:55


A viabilização de um estudo técnico no sentido de implantar um centro especial de atendimento à criança portadora de transtorno do espectro do autismo no município do Careiro da Várzea foi solicitada à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) pela deputada Vera Castelo Branco (PTB), em forma de indicação ao governador Omar Aziz (PSD) e ao secretário de Estado da Saúde (SUSAM), Wilson Alecrim.

De acordo com a deputada, “crianças com transtorno do espectro do autismo apresentam dificuldades nas interações sociais recíprocas, sendo esta a dificuldade primária deste quadro que também é acompanhado por entraves na comunicação e interesses restritos.

Eles evitam frequentemente o contato social, isolam-se, exibem respostas negativas ou mesmo comportamentos destrutivos.

Todas estas características dificultam o convívio”, observou.

Segundo Vera Castelo Branco, a principal desordem relacionada com prejuízo de habilidade social é o autismo.

“A compreensão das regras sociais é um desafio diário para indivíduos com transtorno do espectro do autismo e seus familiares.

Na infância são comuns reações exacerbadas de birra, justamente por não compreenderem as regras sociais que lhes são impostas”, afirmou.

Para a deputada, estimulados e com o decorrer dos anos, podem se mostrar interessados em outras interações e a orientação de base para controle de comportamentos indesejados como automutilação e birras incontroláveis é afastar o sujeito dos estressores.

Vera afirmou que a proposta, aqui interessada, viabiliza a implementação do Centro Especial de Atendimento específico que vise à reabilitação apropriada e que substitui os modelos psicoterápicos ultrapassados e pouco funcionais dando vez a tratamentos eficientes e progressivos quebrando tabus corriqueiros que consideram o autismo uma consequência de distúrbio afetivo e, no interior do estado, isso é muito pior.

A proposta apresentada visa minimizar essas manifestações lesivas bem como evitar constrangimentos dos familiares e crises comportamentais dos portadores do autismo evitando a espera em longas filas e serem preteridos nas matrículas dos estabelecimentos de ensino.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria da deputada Vera Castelo Branco (PTB-AM)Foto: Assessoria da deputada Vera Castelo Branco