Vera reivindica ampliação de investimentos na segurança pública no AM

PTB Notícias 23/10/2013, 16:59


“Os municípios do Amazonas estão passando por situação delicada em relação à questão da segurança pública.

Isso ocorre devido à redução do policiamento, que contribui consideravelmente para o aumento da delinquência de modo geral”, lamentou a deputada estadual Vera Castelo Branco (PTB), demonstrando preocupação com o problema nos municípios que visitou.

Para que essa situação tenha uma solução em beneficio da população, Vera disse que a exemplo de medidas tomadas em ajuda a outros órgãos do estado se faz necessário que se faça também uma proposta para aumentar o orçamento da segurança, principalmente, da Polícia Militar.

“Isso sendo feito, deve-se abrir concurso, mas em âmbito locais como está ocorrendo no Judiciário priorizando a população somente dos locais onde será feita a seleção evitando, assim, gastos com transporte, estadias e deslocamento de forças da capital para o interior, ou seja, a pessoa que fizer o concurso sabe que será para aquele local onde reside”, disse.

A deputada recebeu pedido, nesse sentido, por parte dos vereadores de Benjamin Constant, liderado pelo vereador Totô Cabral (PMDB), que relatou o caos em que se encontra a segurança no município, afirmando que se continuar do jeito que está sem nenhuma perspectiva de mudança, vão procurar votar uma lei em busca de um mecanismo que lhes ampare aplicar o “toque de recolher” devido à gravidade do problema.

Uma situação absurda, disse a deputada do PTB, “tentar aplicar uma medida como essa, mas para eles é a única saída para tentar dar segurança à população, já que não tem segurança pela parte do dia quanto mais à noite”.

Segundo Vera, “para se ter uma ideia da gravidade do problema, nos últimos 15 dias ocorreram quatro assassinatos e vários assaltos à mão armada, durante o dia, numa cidade pequena do interior onde a paz deveria reinar entre as comunidades”.

Em São Paulo de Olivença a situação não é diferente.

“Lá, além da falta de segurança, não há juiz e promotor de Justiça.

Havia apenas um delegado e um escrivão e, assim mesmo, o delegado queria vir embora porque não sabia mais o que fazer sem a presença do juiz e do promotor e policiais militares”, assinalou a deputada, citando ainda Santo Antônio do Içá e Tabatinga como municípios que também sofrem com a falta de segurança.

“É necessário acontecer um grande investimento no policiamento preventivo e ostensivo por parte da Polícia Militar para que esses acontecimentos não venham a ocorrer sendo combatidos antes para não cheguem às delegacias”, observou a deputada.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Assembleia Legislativa do AmazonasFoto: Danilo Mello/Aleam