Vereador Carlos Cezar propõe um dia sem carro em Soracaba

PTB Notícias 14/02/2009, 0:52


Um dia sem carro nas ruas de Sorocaba.

É o que propõe projeto de lei apresentado pelo vereador Carlos Cezar, líder do PTB na Câmara Municipal de Sorocaba.

De acordo com o projeto, todo dia 22 de setembro de cada ano será o Dia Municipal Sem Carro em Sorocaba, precedido de campanhas educativas acerca dos transtornos gerados pelo automóvel.

“O Dia Municipal Sem Carro não será obrigatório.

O projeto deixa claro que se trata de uma adesão voluntária.

Nosso propósito é levar as pessoas a refletir sobre os efeitos negativos da cultura do automóvel no meio ambiente e também em suas próprias vidas”, ressaltou Carlos Cezar.

Como salienta o vereador, a primeira experiência do gênero foi realizada em 22 de setembro de 1998 (que também é o Dia Mundial do Pedestre) em 35 cidades francesas e se estendeu por toda a União Européia.

Esse movimento começou no Brasil em 2001 e, já em 2005, contava com a participação de 63 municípios.

A cada ano, o número de adesões aumenta, comemora Carlos Cezar.

No Estado de São Paulo, cidades como Campinas, Guarulhos e a própria capital já aderiram ao movimento.

E, pelo país afora, as adesões vão de Porto Alegre a Belém, passando por Belo Horizonte, Campo Grande, Londrina, Salvador, Teresina, entre muitas outras, contabiliza o líder do PTB.

Dados do Detran mostram que a frota de veículos no Estado de São Paulo era de 18,8 milhões de veículos em novembro passado.

Para se ter uma idéia do crescimento da frota, basta lembrar que, em janeiro do ano passado, a frota estadual estava na casa dos 17,5 milhões de veículos, salienta o parlamentar.

Recorrendo a estudos da Organização Mundial de Saúde que mostram os danos causados pelo carro, o vereador alerta que essa dependência da sociedade moderna em relação ao automóvel é responsável por poluição, congestionamentos, estresse e violência no trânsito.

Carlos Cezar acredita que seu projeto, caso seja aprovado, terá um alcance estratégico em termos de urbanismo.

“Uma cidade não se constrói apenas com concreto, mas, sobretudo, com educação.

Meu projeto é educativo, argumenta”.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Jornal Cruzeiro do Sul