Vereador Carlos Henrique Casartelli debate situação de catamarã de PoA

PTB Notícias 4/06/2015, 8:54


O vereador de Porto Alegre (RS), Carlos Henrique Casartelli (PTB), participou, na última terça-feira, 02/06/15, de reunião da Comissão de Urbanismo, Transporte e Habitação (Cuthab), realizada no Centro Administrativo Regional (CAR), localizado no Bairro Belém Novo.

O encontro serviu para atualizar os vereadores da situação que envolve o transporte hidroviário nas regiões do Sul e Extremo Sul de Porto Alegre, o Catamarã.

Segundo o arquiteto Antonio Selbach, da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o transporte por água em Porto Alegre está parado há quase meio século “e fica difícil retomar os serviços de uma hora para outra”, justificando a necessidade de estudos e pesquisas de campo para viabilizar novas linhas.

Disse que a experiência de colocar uma linha com um barco catamarã ligando Porto Alegre a Guaíba serviu de base para novos desafios.

Um deles foi a recente ligação fluvial entre o Centro Histórico e o Bairro Cristal, onde está localizado o Barra Shopping.

O vereador Casartelli (PTB) acredita que é preciso fazer um levantamento para saber se todas as comunidades desejam este tipo de transporte e lembra que é preciso buscar alternativas “já que não está se conseguindo resolver o problema de mobilidade na capital”.

O arquiteto Marcelo Allet, da Secretaria Municipal de Urbanismo, afirmou que o trabalho da secretaria é o de “aproximar o cidadão do rio” e que para tanto existem algumas estratégias que precisam ser pensadas e definidas em conjunto.

Uma destas ações compete à Marinha do Brasil e à Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH).

O capitão tenente fluvial Dalbon alegou que seria uma irresponsabilidade da Marinha liberar o transporte sem que seja feito um estudo aprofundado do canal de navegação.

“O fundo do rio pode reservar surpresas desagradáveis que colocam em risco os passageiros de um barco que transporta dezenas de pessoas, como é o caso do catamarã”, alertou.

“O calado do rio é muito baixo nesta região da cidade”, disse o engenheiro Reinaldo Gambim, da SPH, revelando que a beira do Guaíba do leito à superfície “tem em torno de um metro e meio, quando precisamos de no mínimo dois metros para atracar um barco”, justificou.

Ao finalizar a reunião, o presidente da Cuthab, vereador Engenheiro Comasseto (PT) lembrou que a comissão tem feito reuniões nos bairros para discutir o transporte e a segurança dos passageiros durante as viagens.

Comasseto encerrou a reunião afirmando que o assunto voltará a ser debatido na comissão ainda este ano.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria do Vereador Carlos Henrique CasartelliFoto: Divulgação/Assessoria