Vereador Chico Vilela de Barueri conta como PTB se organiza para eleições

PTB Notícias 18/02/2012, 8:30


Presidente do diretório municipal do PTB de Barueri (SP), o vereador Francisco dos Reis Vilela, o Chico Vilela, como é conhecido na Câmara Municipal, contou ao Diário da Região como o partido está se organizando como base do deputado estadual e pré-candidato a prefeito Gil Arantes (DEM).

O parlamentar também confirmou que pediu a cassação do mandato do presidente da Casa de Lei, Josué Pereira da Silva, o Jô, que deixou o PTB e se filiou ao PV.

Confira a entrevista na íntegra:Por que o PTB não entrou com o pedido de cassação do vereador Jô?Entrou sim.

O PTB entrou com o pedido da cadeira, que é do partido.

Ele está sendo citado, parece que o oficial de Justiça está rondando para citá-lo.

Agora depende do Ministério Público.

Mas no site do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) só consta o pedido do Ministério Público.

O que aconteceu?Então, vou verificar e ver o número do processo para confirmar.

Porque eu assinei, só se o advogado me enganou, mas acredito que isso não aconteceu.

Caso ocorra a cassação do mandato, como fica a situação na Mesa Diretora da Câmara?Pelo regimento interno, eu assumo [a presidência da Câmara] de imediato.

Depois nós teremos que convocar uma nova eleição para presidência.

Porque no caso dele deixar o cargo de vereador e de presidente, o vice não pode assumir e permanecer.

Assumo só os trabalhos e terei que convocar uma eleição de imediato, mas como eles possuem a maioria, não adianta concorrer.

Para mim, continuar como vice seria o melhor caminho.

E se o presidente se licenciar do cargo?Nesse caso o vice assumiria, mas isso com certeza não vai ocorrer.

Ele vai tentar se defender do processo de perda de mandato e nós não sabemos o que vai acontecer, pois depende do entendimento do juiz que vai julgar, vamos aguardar para ver.

A especulação está sendo muito grande, mas ficamos no aguardo, dependendo do Ministério Público.

Logo quando o senhor assumiu o PTB, o Campos Machado, presidente estadual do partido, pediu para o senhor trazer alguns nomes fortes para a legenda.

Foi possível cumprir com esse pedido?O tempo foi curto, mas eu trouxe alguns nomes.

Nós não tivemos muito tempo para trabalhar.

Mas eu ainda conseguir trazer o doutor Jaques que foi candidato a prefeito em 2008 e teve uma votação expressiva; também vieram para o partido o tio Sido e o Mário Lopes que foram vereadores dessa casa.

Não deu para fazer aquele trabalho que eles esperavam, mas creio que temos um quadro muito bom hoje.

O PTB está no grupo de apoio do pré-candidato a prefeito, Gil Arantes (DEM), e indica o nome de Jaques Munhoz para vice.

Isso permanece?Está tudo caminhando para ser o Jaques, mas daqui até as convenções de junho pode mudar alguma coisa, pois na política tudo pode acontecer.

Nesse momento o caminho é esse: ter o Jaques como vice-prefeito do Gil.

Quantos partidos fazem parte dessa coligação? Conosco temos 14 partidos na liderança do deputado Gil Arantes.

Mas também está acontecendo um namoro muito forte e bem encaminhado para ter o PT coligando com o Gil.

Como o senhor vê o nome do Agnério Néri como um dos indicados para vice nessa coligação?Se vier esse apoio do PT será algo muito bom, fortalece muito essa coligação e a candidatura do Gil para prefeito.

Isso está sendo conversado porque também tem essa questão do PDT que tinha a pretensão de ter um vice e agora o PT, tudo é questão de diálogo, conversa.

Na política alguns acordos podem ter bons resultados.

A escolha do vice dependerá de pesquisa?Acredito que não.

Temos o nome do Jaques que já foi candidato a prefeito em 2008 e teve quase 45 mil votos contra o Furlan.

Além disso, o Jaques abriu mão de sair candidato a prefeito para apoiar o Gil.

Acho, no meu entendimento, mais do que justo o Jaques ser o vice.

O PTB pretende sair com chapa completa para vereadores?Vamos coligar com outro partido que também estamos namorando, mas logo mais passarei o nome do partido.

Estou vendo qual legenda é melhor para fazermos uma coligação forte, temos duas cadeiras e estamos trabalhando para três.

Essa sigla com quem vocês estão namorando é um partido grande ou pequeno?É um partido médio.

Estamos com um grupo.

O senhor também é um pré-candidato?Se tudo correr bem, estarei disputando as eleições novamente para vereador.

Está sendo difícil completar os 30% de mulheres?Não.

Hoje estamos com uma boa participação de mulheres.

Acredito que se juntar com esses dois partidos com quem estamos conversando para a coligação, nós teremos mulheres de sobra.

Como vocês estão se organizando na região?As pessoas acreditam nele.

Recentemente saiu uma declaração do Emidio dizendo que apoia o PT na coligação com o DEM de Barueri.

Não sei em Carapicuíba, mas parece que está tudo certo.

Então, a região está tranquila.

Só mesmo as lideranças do município estão amarrando essa situação e os membros do executivo do PT, que tem uma rejeição e que pensa em ter uma candidatura própria.

Nestes três anos de mandato, quais foram os principais projetos do senhor?Eu tive alguns projetos, uns que foram aprovados e sancionados, mas não foram avante como, por exemplo, o disque denúncia municipal, que não está em funcionamento.

Tenho uma resolução que criei para a Câmara, em que leríamos um versículo da bíblia antes da sessão.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Diário da Região