Vereador Edson Shimabukuro pode pedir anulação de concursos em MS

PTB Notícias 19/08/2013, 7:28


Os editais de concursos com vagas para engenheiros no Estado abriu uma discussão entre os profissionais por causa do salário oferecido.

No edital do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) foram oferecidas 4 vagas para engenheiros com salário de R$ 3.

138,70, já o da Agehab oferece 5 para Analista de Programas Habitacionais e 8 para Fiscais de Obras Habitacionais, atividades que cabem aos engenheiros, com vencimentos de R$ 1.

300,00 por 40 horas semanais.

Os valores apresentados gerou revolta no profissionais de engenharia, que se manifestaram através das redes sociais sobre os concursos.

O vereador engenheiro Edson Shimabukuro (PTB), da capital Campo Grande, afirma que já tomou as medidas necessárias em relação aos concursos públicos com vagas para engenheiros, cujos salários oferecidos são inferiores à categoria.

“Não podemos permitir esse desrespeito com os profissionais, todas as medidas já estão sendo tomadas”, disse.

Vai notificarO vereador, que também é presidente do Sindicato dos Engenheiros de Mato Grosso do Sul, afirmou que a primeira medida é notificar os organizadores dos concursos para que faça a revisão do edital, equiparando o salário de acordo com a Lei 4950-A de 1966, caso isso não seja feito, a medida seguinte é pedir a anulação do concurso na justiça.

“Já falei com o prefeito Alcides Bernal para que os engenheiros tenham pelo menos o recebimento do salário mínimo profissional (SMP) e principalmente a valorização dos mesmos como técnicos importantes em sua administração.

Inclusive, Bernal nos respondeu que o engenheiro Semy Ferraz, atual secretario SEHINTRA, já tem em mãos o plano de cargo e salários (plano de carreira) que comtempla o SMP”, explicou Shimabukuro.

Segundo o vereador, a questão também já foi debatida com o governador e que aguarda apenas a confirmação de um horário para tratar do assunto.

“Já falei diversas vezes com o governador André Puccinelli sobre o SMP, e na última reunião ele solicitou que em agosto voltássemos a reunir que já teríamos uma decisão, mais de acordo com a receita do governo.

Estou marcando esta reunião e logo terei uma conclusão definitiva para os funcionários engenheiros do estado”, finalizou Edson Shimabukuro.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria do PTB-MS