Vereador Everaldo Fogaça defende moradores de União Bandeirantes

PTB Notícias 21/10/2015, 8:01


O vereador Everaldo Fogaça (PTB) falou em nome da Câmara Municipal de Porto Velho (RO) na audiência pública realizada na sexta-feira (16/10/2015) no distrito de União Bandeirantes, onde se debateu o litígio existente na região conhecida como “Área do Conti”.

De acordo com o vereador, a Câmara irá unir-se às outras autoridades para chegar a uma saída benéfica para as partes, principalmente ao lado da população que sofre com o pesadelo da reintegração de posse em tramitação na Justiça.

Segundo Everaldo Fogaça, União Bandeirantes é um distrito maior que pelo menos 20 municípios de Rondônia e não pode ter um dono.

“Todas as famílias que lá residem estão estabelecidas há muitos anos no local e possuem um projeto de vida.

O Estado precisa garantir a permanência dessas pessoas em União Bandeirantes”, comentou.

O vereador é um dos propositores da criação da CPI das Terras, na Câmara Municipal de Porto Velho, que pretende investigar a origem dessas posses de terras por latifundiários.

A área em questão é conhecida como Fazenda Bom Futuro, também conhecida como Área do Conti, em alusão ao latifundiário Sebastião Conti, que reivindica para si a posse de 32 mil hectares de terra.

A área está ocupada por 720 famílias há cerca de 15 anos e desde 2008 tem uma liminar para desocupar a área.

A localidade está localizada nas linhas 5, 6, 7, 8 e Novinha margem direita do Linhão.

As terras, segundo Fogaça, são produtivas e segundo dados da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) apresentados aos participantes da audiência pública a produção de café em 2015 é de 306,92 toneladas, cacau 129 toneladas, mandioca 1984 toneladas, banana 3408 toneladas, culturas anuais (feijão, milho e arroz) 900 toneladas, bovinocultura (leite e corte) 44.

335 cabeças e produção de leite 29.

760 litros dia.

“Trata-se de uma das áreas mais produtivas Porto Velho, além de possuir uma natureza exuberante.

Uma área como União Bandeirantes tem valor incalculável não só pelas riquezas que possui, mas também porque é uma região onde está plantado o sonho de centenas de famílias.

Não é justo que essas famílias sejam desapropriadas pelas mãos do latifúndio”, finalizou Everaldo Fogaça.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal O Nortão Foto: Divulgação