Vereador Everaldo Fogaça lamenta engavetamento da Lei 190 pela PGM

PTB Notícias 15/05/2014, 7:55


O vereador Everaldo Fogaça (PTB-RO) lamentou, na terça-feira (13/5/2014), durante audiência pública sobre o folclore municipal, o engavetamento da Lei 190 na Procuradoria Geral do Município de Porto Velho, e a falta de vontade da prefeitura em dar uma resposta sobre o assunto ao segmento cultural.

“Pensei que o prefeito estava preocupado com o assunto, mas vejo que me equivoquei.

Hoje a proposta deve estar toda empoeirada em alguma gaveta da Procuradoria, depois de ficar emperrada por um bom tempo na Semfaz.

É triste que seja assim, depois de tanto trabalho que tivemos para revisar a lei”, comentou.

As declarações do vereador foram basicamente à presidente da Fundação Cultural de Porto Velho, Jória Baptista, que articulou junto com o vereador várias reuniões no início do ano passado para a adequação da lei, no auditório da Fundação, com a presença de vários representantes da cultura local.

“Se tivesse ouvido sua proposta, vereador José Wildes, com certeza já tínhamos resolvido essa questão.

Vou seguir seu conselho e acredito que, em breve, a Lei 190 será aprovada.

Podem ter certeza, todos vocês aqui presentes, que daremos uma resposta positiva sobre o assunto”, disse o vereador.

Everaldo Fogaça também falou sobre sua simpatia pelo movimento cultural e que estará garantindo 100% de suas emendas no ano de 2015 para as entidades folclóricas.

“É um dos segmentos que mais me identifiquei nesses 11 anos que moro em Porto Velho.

Posso dizer que foi através do movimento cultural que me inseri no contexto social e político da cidade”, completou.

O vereador defendeu ainda o uso do miniestádio do Colégio Padrão, cujas obras encontram-se abandonadas desde 2011, para uso de eventos diversos como o carnaval e, outros eventos de massa do Município.

“Nos próximos dias, estaremos convidando a imprensa e os representantes da cultura e do esporte para uma visita ao local para discutir um projeto viável para o local junto à prefeitura”, disse.

Flor-do-Maracujá As discussões da audiência pública giraram em torno, grande parte, do arraial Flor-do-Maracujá.

Em suas palavras, a presidente da Fundação Cultural de Porto Velho, Jória Baptista, disse que a Superintendência Estadual de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) já procurou o município para executar o projeto Flor-do-Maracujá 2014.

“Não vejo problema algum e já aceitei o desafio de antemão.

Antes de tudo, o Flor-do-Maracujá é do município de Porto Velho.

Por isso, nada de mais que o próprio município o execute”, considerou.

A presidente da Iaripuna disse que o grande problema enfrentado pela Fundação para dar a logística necessária para a realização dos eventos culturais é falta de orçamento.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal News Rondônia Foto: Divulgação