Vereador Marcos Crippa propõe contratação de psicólogos para crianças

PTB Notícias 14/07/2014, 7:28


O presidente da Câmara de Catanduva (SP), vereador Marcos Crippa (PTB), propôs ao Executivo reforçar o quadro de funcionários das escolas municipais.

O parlamentar defende a medida como forma de sociabilizar, acolher e oferecer afeto às crianças no momento em que elas precisam deixar o ambiente familiar para passar o dia na creche.

Em requerimento direcionado ao prefeito Geraldo Vinholi, Crippa sustenta que os profissionais de saúde ampliarão os cuidados com os alunos, a partir de um trabalho envolvendo a cultura e linguagem familiar e corporal do bebê.

A ação, segundo ele, também beneficiaria suas famílias, para que compreendam o universo dos pequenos indivíduos.

“Sair do ambiente familiar é uma grande mudança na vida de crianças pequenas.

No entanto, ela não precisa ser traumática.

Para minimizá-la, algumas instituições já contratam psicólogos para auxiliar na adaptação e para melhor integração com seus familiares, considerando-se que não é só a criança que deve se adaptar, mas também a família”, diz.

A proposta do petebista tem como base estudos que revelam que a importância da presença de um psicólogo já no momento da matrícula.

“Para que possa fazer uma entrevista com a família e já trace um perfil da criança e dos pais”, aponta.

A iniciativa possibilita que a instituição detecte hábitos e a rotina da família, e assim se prepare para receber o aluno.

No documento enviado ao prefeito, Marcos Crippa ainda afirma que o trabalho do psicólogo na comunidade escolar é indispensável por possibilitar o desenvolvimento emocional das crianças e diagnosticar distúrbios de forma precoce.

“Ele acompanha cada nova fase dos alunos, como a chegada de um novo amiguinho e a realização de trabalhos em grupo.

“A solicitação feita pelo presidente da Câmara de Catanduva leva em consideração as transformações socioeconômicas e culturais verificadas no Brasil, nas últimas décadas, com a crescente incorporação da mulher no mercado de trabalho.

“O que tem ocasionado uma demanda crescente por soluções complementares aos cuidados e educação dos filhos”, assinala.

Em contrapartida, pondera Crippa, a evolução da legislação nacional, sobretudo com a promulgação da LDB (Leis de Diretrizes e Bases), busca assegurar como finalidade da educação infantil o desenvolvimento das crianças até seis anos de idade, em seu aspecto físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal O Regional Foto: O Regional/Divulgação