Vereador petebista critica Hospital Sanatório de Maceió

PTB Notícias 15/04/2007, 18:32


O vereador petebista George Sanguinetti (AL) fez duras críticas ao Hospital Sanatório na sessão da última quinta-feira (12/04) da Câmara Municipal de Maceió/AL.

Ele discursou sobre a auditoria do Ministério da Saúde que descobriu nome de personalidades famosas que teriam feito exames de mamografia no hospital pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Existe uma quadrilha dentro do Hospital Sanatório.

Eles acusam uma funcionária terceirizada, mas o esquema deve ter sido organizado por um doutor.

Tem ladrão de anel no dedo organizando o roubo do dinheiro público”, acusou o parlamentar.

Segundo o vereador, os responsáveis pelo esquema que fraudava a quantidade de exames patrocinados pelo SUS no Hospital Sanatório precisam ser responsabilizados o quanto antes e o Ministério Público Federal tem que agir no sentido de cobrar explicações e a devolução de todo o dinheiro que foi recebido indevidamente.

“Os ladrões têm que ser punidos com cadeia”, cobrou.

O vereador Thomaz Beltrão (PT) ratificou a cobrança feita pelo colega Sanguinetti e disse que tem informações, de pessoas da área médica do Hospital, que confirmaram manipular pacientes e informações para receber mais recursos do governo federal.

“Eles admitiram que seguram pacientes para dar lucro à unidade de saúde.

É uma relação promíscua que existe entre os hospitais e o SUS.

Os diretores burlam o sistema para ganhar mais, já que o Ministério da Saúde paga pouco”, denunciou Thomaz Beltrão.

Na noite de quarta-feira, 11, foi denunciado, num programa de TV local, um esquema que fraudava a quantidade de exames de mamografia realizados no Hospital Sanatório.

A auditoria do Ministério da Saúde constatou que os nomes da cantora Ivete Sangalo e das atrizes Juliana Paz e Carolina Dieckman constavam como pacientes do SUS em Alagoas e que teriam se submetido a uma mamografia dentro do Hospital Sanatório.

A direção da unidade de saúde nega envolvimento na fraude e disse que o dinheiro recebido de forma irregular já foi devolvido ao governo federal.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações do Alagoas 24 horas)