Vereador Rony Alves defende recomeço do Plano Diretor em Londrina (PR)

PTB Notícias 19/06/2013, 8:01


Uma reunião entre os vereadores de Londrina (PR), o prefeito Alexandre Kireeff e o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippul), Robinson Borba, deverá ser agendada ainda esta semana para marcar o início das discussões na Câmara dos projetos que integram o Plano Diretor.

Durante a sessão de terça-feira (18/6/2013), o presidente da Casa, vereador Professor Rony Alves (PTB), se manifestou sobre o projeto, que ainda não chegou à Câmara para ser apreciado.

Pela manhã, o prefeito Alexandre Kireeff teria dito em coletiva que encaminhará os projetos em 15 dias.

Rony Alves afirmou que independente do que vem nos projetos, a Câmara Municipal fará audiência com a população para discutir as propostas.

“Queremos conhecer as propostas do Executivo e discuti-las com a população.

Queremos ouvir a cidade sobre este tema para votarmos o projeto de forma responsável”, afirmou Rony, que não acredita que a votação ocorra antes do recesso da Câmara.

Os vereadores defendem uma discussão ampla dos projetos do Plano Diretor.

Dos oito projetos complementares do Plano Diretor, seis – Preservação do Patrimônio Público e Cultural, Código de Posturas, Código Ambiental, Perímetro Urbano, Código de Obras e Parcelamento do Solo – já foram aprovados.

Os dois últimos projetos complementares – Uso e Ocupação do Solo e sistema viário – poderão receber adaptações da Câmara.

Rony Alves defende que o processo do projeto do Uso e Ocupação do Solo (zoneamento) recomece do zero.

A declaração foi dada com base na notícia de que o texto da conferência que estava depositado na Caixa Econômica Federal foi alterado.

Na avaliação de Rony Alves, existem muitas dúvidas sobre o material produzido pela administração passada.

De acordo com o Executivo, os textos dos projetos complementares passam por uma última vistoria antes de finalmente serem encaminhados à Câmara para votação.

Os projetos são frutos das discussões do Plano Diretor Participativo e deveriam ter sido aprovados até 2008.

No final do ano passado, eles foram reencaminhados ao Ippul com denúncias de fraude.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal Bonde News