Vereadora Graça Amorim analisa atuação do prefeito de Teresina (PI)

PTB Notícias 11/07/2013, 7:31


A vereadora Graça Amorim (PTB-PI) criticou, na quarta-feira (10/7/2013), o relatório das ações do primeiro semestre da Prefeitura de Teresina enviado à Câmara de Vereadores.

Ela chamou a atenção para o número de folhas de papel utilizadas no documento lembrando que, se o Portal da Transparência fosse atualizado, não precisaria aquele desperdício de papel.

“O povo não tem acesso a esse relatório.

A população quer é acessar o Portal da Transparência e ter acesso às despesas, receitas, às licitações, como a dos copinho de água e café, no valor de R$ 5 milhões, que ele desistiu de fazer após denunciarmos aqui na tribuna desta casa”, disse.

Graça aproveitou para fazer uma análise do primeiro semestre de administração do prefeito Firmino Filho.

Sobre transporte público, por exemplo, a vereadora lembrou que neste primeiro semestre não foi feita a licitação das empresas de ônibus e que a frota que circula na capital foi reduzida.

“O prefeito não aumentou a passagem de ônibus, mas também não reduziu, como a maioria das capitais.

O que foi reduzida aqui foi a frota que circula.

Hoje, a pessoa passa muito mais tempo na parada esperando o ônibus”, comentou.

No elenco de ações que deixaram de ser realizadas, Graça Amorim citou as obras do orçamento popular e as das emendas parlamentares que não estão sendo cumpridas e aproveitou para cobrar promessas de campanha do prefeito.

“Ele prometeu que cada professor e cada aluno da rede municipal em sua gestão teria um tablet para facilitar as pesquisas e o aprendizado.

Fora o valor de R$ 100 por aluno matriculado que foi prometido e não começou a ser cumprido”, lembra.

A vereadora comentou ainda que a primeira ação de Firmino no início de sua gestão foi a de enviar uma reforma administrativa com a criação de inúmeros cargos com altos salários.

“Um exemplo de criação de cargos desnecessários foi os da Coordenadoria Municipal de Defesa das Mulher.

O dinheiro utilizado para pagar o salário destes cargos poderia ser utilizado em várias ações e serviços para a cidade, inclusive para comprar os tablets prometidos por ele aos alunos das escolas da rede municipal”, destacou.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal Cidade Verde