Vereadora Graça Amorim participa de audiência com prefeito de Teresina

PTB Notícias 31/07/2015, 15:28


A vereadora Graça Amorim (PTB) participou na quarta-feira (29/7/2015) de audiência com o prefeito de Teresina (PI), Firmino Filho (PSDB), para tratar sobre requerimentos que vem defendendo na Câmara Municipal.

Um das pautas foi a reserva de vagas para mulheres na exploração de serviços de táxi na capital piauiense.

O edital de licitação para a liberação de 520 alvarás para taxista tem previsão para ser divulgado em 27 de agosto e sua realização foi compromisso da prefeitura com a categoria durante audiência pública requerida por Graça Amorim em 13 de março.

Sobre a reserva de vagas para mulheres, o prefeito Firmino Filho abraçou a ideia e se comprometeu em modificar a proposta, acrescentando 10% solicitados pela vereadora trabalhista.

“A gente vê que a proposta é bem democrática quando inclui as pessoas com deficiência tanto na parte de condução quanto de passageiro, mas as mulheres não foram contempladas e é preciso reparar isso.

Atualmente não existe mais profissão de homem e profissão de mulher.

Elas já provaram que podem ocupar o espaço que decidirem ocupar.

Retirá-las desta concorrência é uma forma de discriminação.

Que bom que o prefeito acedeu ao nosso requerimento”, disse Graça.

O regulamento do serviço de táxi consta, além do convencional – que vai deter 440 das 520 vagas –, o especial, que faz o serviço de condução de passageiros do aeroporto; o eficiente, destinado a passageiros com deficiência física; e o acessível, que se destina a condutores que tenham deficiência física.

Graça Amorim comemorou a realização da licitação pela qual reivindica há muito tempo.

“Atualmente, o deficit de táxis na capital chega a dois mil profissionais.

Hoje, Teresina tem 1.

556 taxistas com alvará que lhes permite trafegar pela cidade.

Esta frota deveria ter alvará renovado anualmente em Teresina, e isso não era feito há mais de dez anos.

A legislação que regulamenta esse serviço na cidade era do ano de 1985, mas agora foi atualizada e Teresina é quem ganha”, disse.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Câmara Municipal de TeresinaFoto: Divulgação/Assessoria