Vereadora petebista propõe ensino de educação sexual

PTB Notícias 24/05/2007, 12:50


Foi aprovada, esta semana, a indicação da vereadora petebista Carlinda Poletto Farina (Erechin/RS) que solicita a inclusão da disciplina de “Educação Sexual” no currículo das escolas municipais de Erechin, do pré-primário até as últimas séries do Ensino Fundamental.

“No mundo contemporâneo em que vivemos, de várias mudanças e transformações, constata-se um grande número de gravidez na adolescência, o aumento de pessoas contaminadas com o vírus da AIDS – doença que vem crescendo em nossa sociedade – e o desconhecimento sobre o Planejamento Familiar”, informa a vereadora e completa: “É necessário urgentes ações integradas entre escola e a família num programa que contemple a educação sexual nos diferentes níveis de ensino”.

A parlamentar ressalta que, para muitas famílias, a sexualidade continua sendo um tabu.

Por isso, a maioria dos pais não tiveram esta orientação e não sabem como fazê-lo.

“Por isso não tem condições no momento de orientar, daí a necessidade da família atuar conjuntamente com a escola neste Programa de Educação Sexual, participando através do Círculo de Pais e Mestres”, esclarece.

Para Carlinda, a gravidez precoce na adolescência cria um grande problema na família, que acaba assumindo a responsabilidade destas crianças.

“Por outro lado, a educação sexual não é aceita nas escolas por muitas religiões que não permitem que seus filhos tenham esta orientação, por isso a família deve ser integrada nesse processo educativo”, afirma.

Além disso, a maioria das mães adolescentes não tem condições financeiras, nem emocionais para assumir o seu papel abandonando os estudos.

“Elas passam a ter dificuldades ainda maiores de entrar no mercado de trabalho e tem seus projetos de vida inviabilizados ou sequer sonhados”, lamenta ela.

Carlinda alerta ainda que a família deve assumir o seu papel, mas que ela não consegue sozinha orientar para prevenção da sexualidade na adolescência.

“A escola deve criar e operacionalizar políticas públicas eficazes na educação da sexualidade para a criança e o adolescente na formação para o exercício da cidadania”, finaliza.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações do Clic Erechin)