Vereadora Rose França propõe Centro de Recuperação para mulheres

PTB Notícias 25/06/2007, 10:50


Um desafio.

Assim a vereadora petebista Rose França definiu a construção de um Centro de Recuperação para mulheres que sofrem de dependência química.

A clínica, que está instalada no bairro Sagrado Coração de Jesus, será uma instituição moderna, com profissionais capacitados para atender, inicialmente, até 30 pacientes.

“Esse Centro contará com o trabalho de médicos, psicólogos e assistentes sociais que já possuem ampla experiência no tratamento de dependentes químicos”, disse a vereadora que, no momento, está adequando o local para receber as pacientes.

“Estamos preparando uma clínica confortável, numa área de 30 mil m², com açudes, uma ampla casa e locais para o desenvolvimento de diversas atividades, proporcionando a recuperação segura e eficiente de nossas pacientes”, disse Rose.

De acordo com a legisladora, o projeto está sendo desenvolvido em parceria com o Pastor Ernani Souza Silva, da Igreja Nazareno Herança das Nações, que já desenvolve trabalhos com dependentes químicos.

Ela explica que, o maior objetivo do Centro de Recuperação, será promover a qualidade de vida das viciadas, através da informação e conscientização dos males que as drogas causam ao organismo.

“As drogas alteram o estado mental dos usuários.

Elas proporcionam uma sensação de prazer e conforto, que reduzindo características pessoais como a timidez, podem afetar o convívio social.

Usuários ocasionais podem se transformar em dependentes”, disse Rose, que pretende suprir as necessidades das mulheres dependentes com um tratamento voltado somente para elas.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, as principais drogas que aumentam a atividade do sistema nervoso central, são as anfetaminas, nicotina e cocaína.

Já a maconha e os anticolinérgicos, fazem com que o cérebro funcione fora do seu padrão normal.

Quando uma paciente é submetida ao tratamento, ela passa pela chamada crise de abstinência e com isso, apresenta uma série de sintomas como irritabilidade, ansiedade, dificuldade para dormir, falta de apetite, dor de estômago e depressão.

No caso das mulheres, além do preconceito ser maior, esses sintomas podem tomar uma proporção mais grave por elas serem suscetíveis à mudanças hormonais.

“Estamos preocupamos em construir um espaço, onde nossas pacientes possam ter total apoio ao tratamento de desintoxicação.

Um lugar com equipamento e profissionais qualificados para dar carinho, atenção e cuidados às dependentes”, afirmou Rose.

A Clínica irá ainda oferecer oportunidade de reintegrar as pacientes ao mercado de trabalho.

Elas poderão completar seus estudos ou de adquirir uma profissão, através de cursos profissionalizantes.

“Quem quiser, poderá se preparar para o ingresso ao curso superior, pela Universidade Popular.

Estamos oferecendo mais do que um tratamento desintoxicante.

Uma nova oportunidade para que essas pessoas tenham resgatada a sua dignidade”, disse a legisladora.

Agência Trabalhista de Notícias