Vice-presidente Benito Gama abona filiação do delegado Miguel Lucena

Felipe Menezes 16/08/2017, 11:07


Imagem Crédito: Felipe Menezes/PTB Nacional

O vice-presidente nacional do PTB, deputado Benito Gama (BA), abonou nesta terça-feira (15) a ficha de filiação ao partido do delegado Miguel Lucena. O ato ocorreu na sede do Diretório Nacional da legenda e contou com a presença do presidente e do tesoureiro do PTB do Distrito Federal, Alírio Neto e Jafé Torres, e de lideranças da capital federal.

Miguel Lucena Filho, de 51 anos, é delegado de polícia e formado em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba. Natural de Princesa Isabel (PB), reside em Brasília há 18 anos. Trabalhou em diversos meios de comunicação do país e já esteve à frente de cargos importantes no governo e na Polícia Civil do Distrito Federal, como o de diretor de Comunicação. O mais novo trabalhista é pré-candidato a deputado federal.

Em seu discurso, Benito Gama destacou o legado social e econômico construído pelo ex-presidente Getúlio Vargas e pelo PTB para os brasileiros, citando obras que seguem em vigor até os dias de hoje, principalmente as que beneficiam os trabalhadores. Ao dar boas-vindas a Miguel Lucena, o vice-presidente afirmou que o novo membro trabalhista ingressou em um partido de construção, de posições firmes e discurso forte.

“Temos a história que todo partido gostaria de ter. A nossa história é de construção. O PTB vai sempre estar ao lado das pessoas que querem construir um Brasil justo”, frisou. “Delegado Miguel Lucena, seja bem-vindo à nossa casa, estamos orgulhosos com sua chegada. Hoje é um dia de festa e que temos que celebrar, porque você é um quadro de qualidade. E quero dizer que a Câmara dos Deputados o aguarda. Espero estar ao seu lado para fazermos da bancada do PTB uma bancada de luta, aguerrida”, acrescentou.

Ainda na ocasião, Benito Gama explicou aos presentes que o presidente Roberto Jefferson não compareceu à solenidade devido uma agenda em São Paulo, e destacou o trabalho que Alírio Neto vem desempenhando pelo fortalecimento do PTB e na disputa pelo governo do Distrito Federal. “Nós vamos trabalhar e agregar valor a essa sua candidatura, porque essa cidade merece. Brasília precisa de um governador com a sua qualidade, precisa de um governador que cuide das pessoas. Nós acreditamos em você”, concluiu.

Arregaçar as mangas

O presidente regional do PTB e pré-candidato a governador do Distrito Federal, Alírio Neto, também celebrou o ingresso de Miguel Lucena ao partido. Ao ressaltar a trajetória de Lucena como jornalista e delegado, Alírio afirmou que o novo correligionário fará um “trabalho brilhante para todos nós”. Segundo o dirigente de Brasília, a solenidade de filiação de Miguel Lucena “é especial e emblemática para nós porque representa a renovação”.

“É uma pessoa de uma família que não precisava mais mexer com política, mas que quer colaborar, que se dispõe a arregaçar as mangas e fazer a coisa de forma certa. Esperamos pessoas como o Miguel, que querem ousar e lutar. Mas queremos mais do que isso, a gente quer mais do que lutar. Nós queremos ousar lutar e ousar vencer. E é isso o que vamos fazer no PTB. E é esse tipo de militante que queremos no partido: pessoas que querem ir à luta, mas que querem vencê-la, e não só fazer de conta”, disse.

Enfrentamento

Ao iniciar seu pronunciamento, o delegado Miguel Lucena agradeceu ao vice-presidente Benito Gama pela forma como foi recebido pelo Diretório Nacional do PTB, e realçou a importância de Roberto Jefferson na história do Brasil. Segundo Lucena, o presidente do PTB foi o “responsável por tirar a máscara de uma República fingida, hipócrita e desonesta”.

“Foi ele quem deu o pontapé inicial para que nós, brasileiros, abríssemos nossos olhos e percebêssemos que estávamos sendo vítimas de um engodo histórico”, acrescentou o novo filiado, que também fez um agradecimento a Alírio Neto e Jafé Torres.

Na oportunidade, Miguel Lucena afirmou também não ser fácil “sair do conforto de uma carreira bem sucedida para enfrentar a batalha política nas ruas”. Segundo ele, amigos o questionam se “vale a pena” ingressar na carreira política no momento de imenso desgaste da vida pública no Brasil. Lucena afirma responder que “o castigo dos bons que não fazem política é serem governados pelos maus”, frase do filósofo grego Platão.

Dizendo entrar nas batalhas “com misto de coragem e medo, mais coragem do que medo”, o delegado falou ainda dos trabalhos realizados ao longo de sua carreira como delegado da Polícia Civil e apresentou bandeiras nas quais pretende defender na Câmara dos Deputados, caso seja eleito: combate à corrupção, primeira infância, educação e segurança pública.

“O caminho é longo e espinhoso, mas não nos faltará dedicação, determinação, fé e coragem. Aos amigos que me questionam sobre a coragem de ingressar no mundo da política partidária e parlamentar, em meio a tantos escândalos de corrupção, eu respondo: mergulhe na lama, mas transforme o mundo, que ele precisa ser transformado”, concluiu Miguel Lucena.