“Vou ser duro e limpar as ruas”, promete Amazonino Mendes

PTB Notícias 23/04/2009, 14:31


Em sua primeira entrevista após os mais de 100 dias de trabalho à frente da Prefeitura de Manaus, o prefeito Amazonino Mendes, presidente do Diretório Estadual do PTB no Amazonas, prometeu, nesta quarta-feira, reformar ainda este ano todas as 103 unidades de saúde das zonas urbana e rural da cidade, garantiu concluir em 90 dias o terminal pesqueiro da Colônia Oliveira Machado, Zona Sul, e construir outros cinco terminais semelhantes em toda a orla de Manaus.

O prefeito Amazonino prometeu também ser rigoroso com os motoristas que insistirem na violação da legislação de trânsito.

“Quero encher Manaus de estacionamento.

Vou exigir e multar.

Vou ser duro e limpar as ruas”, assegurou Amazonino que ainda na primeira semana de administração, reuniu com professores e garis e prometeu moradias populares às duas categorias.

Na entrevista, concedida na manhã de ontem, ao radialista Valdir Corrêia, da rádio Difusora, Amazonino, 69, falou por duas horas e não conversou com os ouvintes.

Nos primeiros momentos, o prefeito voltou a repetir os mesmos ataques ao ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB) e disse que a prefeitura de Manaus é uma ‘encrenca’, ao lamentar o fato de ainda não ter em mãos as informações que necessita para administrar a cidade.

Ele chegou até a se mostrar conformado com a situação.

“Você não tem números.

Não tem dados.

Não tem informação.

Não tem controle.

É uma encrenca”, comparou.

BoatariaQuestionado sobre o fato de que estaria avaliando a possibilidade de renunciar ao mandato de prefeito numa tentativa se livrar da inelegibilidade, Amazonino foi enfático e declarou que são apenas boatos.

“Isso é lamentável.

A gente sabe que está na chuva para se molhar.

A gente sabe que a coisa não é fácil.

Eu estou acostumado.

Deixa pra lá.

Não vou dar bola para isso não”, disse ele.

Amazonino e o vice-prefeito Carlos Souza (PP) estão há quatro meses com os registros de candidatura cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) pela acusação de crime eleitoral.

Mendes e Souza somente foram diplomados e empossados em seus cargos graças a uma liminar concedida em mandado de segurança pela desembargadora e vice-presidente do TRE-AM, Maria das Graças Figueiredo.

O processo está em curso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sem previsão para julgamento.

Durante a entrevista, Amazonino demonstrou disposição de falar sobre suas ações, mas as declarações do chefe do Executivo Municipal foram evasivas.

Só quando o tema versou sobre “Águas do Amazonas”, é que o prefeito saiu do sério.

Ele evitou falar o nome da empresa, porém não disfarçou seu descontentamento com o serviço por ela prestado.

A companhia ganhou a concessão do abastecimento de água quando ele, quando foi governador e decidiu privatizar o serviço, em 1999.

“(.

.

.

) essa companhia não contribui.

Estou muito zangado.

Muito irritado Se até o final do ano não entregar os reservatórios vou esfolar essa empresa”, disse.

fonte: jornal A Crítica (AM)