Walney Rocha elogia atitude da presidente Dilma de suspender o kit gay

PTB Notícias 27/05/2011, 15:47


Em discurso no Plenário da Câmara nesta quinta-feira (26/05/2011), o deputado federal Walney Rocha, do PTB do Rio de Janeiro, elogiou a atitude da presidente da República, Dilma Rousseff, de ter suspendido a divulgação e produção dos kits anti-homofobia, mais conhecido como “kit gay”.

Para Rocha, a decisão foi importante e que protege os interesses da família do País.

“Com material, uma minoria tentava introduzir em nossas escolas a ideia de que a união de pessoas do mesmo sexo é bem mais que aceitável, é normal e deve ser estimulada, como por exemplo, quando apresenta discurso de que um jovem sendo bissexual tem probabilidade de encontrar um parceiro ou parceira aumentada”, disse.

O parlamentar petebista lembrou que após forte pressão da banca evangélica em conjunto com a católica da Casa, a chefe do Poder Executivo assistiu aos vídeos e tomou a acertada decisão.

De acordo com Rocha, Dilma, ao analisar o material, considerou que o conteúdo é inadequado e inapropriado, um fato inquestionável, uma vez que na abordagem se faz apologia à união homossexual, dando conotações visíveis de incentivo dessas relações.

“Não é papel do poder público incentivar pessoas a se relacionarem umas com as outras, sendo essas do mesmo sexo ou não.

Devemos, para garantir a tão sonhada democracia, respeitar a liberdade de opinião dos contrários às relações homoafetivas, e jamais incentivá-las, até porque não é da cultura de nosso país”, afirmou Walney Rocha.

O deputado ressaltou que os que foram contra o kit gay não são incentivadores da violência, do preconceito ou de qualquer forma de discriminação.

Mas, como frisou, implacáveis defensores da família brasileira “protegida e consagrada por Deus”, de modo que qualquer intento que tenha por objetivo abalar a estrutura que serve de base para a nação, “encontrará em nós obstáculo intransponível.

“”Deixo um fraternal abraço a nossa presidente Dilma que mostrou, mais do que nunca, que assim como a esmagadora maioria da população, não concorda com incentivos a relação entre pessoas do mesmo sexo”, concluiu o petebista Walney Rocha.

Agência Trabalhista de Notícias (Felipe Menezes)