Zambiasi diz que Parlamento do Mercosul resolverá imigração ilegal no País

PTB Notícias 19/03/2007, 8:27


O senador Sérgio Zambiasi, do PTB do Rio Grande do Sul, afirmou que o Parlamento do Mercosul, a ser instalado no próximo mês de abril, em Montevidéu, no Uruguai, trará o aspecto democrático para o exercício da cidadania no Mercosul, “onde o povo terá vez e voz, onde trataremos das questões do cotidiano e da cidadania”.

Segundo o senador Zambiasi, o parlamento europeu levou 50 anos até chegar ao estágio em que está, e o Mercosul está apenas com 16 anos, portanto, ainda teria muito trabalho pela frente no sentido de buscar o consenso na América do Sul sobre questões como trabalho, harmonização da legislação trabalhista e previdenciária e a situação dos imigrantes ilegais.

“O Brasil abriga milhares de ilegais dos Países limítrofes – bolivianos, uruguaios, argentinos – que aqui aportam para viver e trabalhar.

Já tivemos um pequeno avanço quando criamos, por iniciativa do Itamaraty, com apoio do presidente Lula e, obviamente, com plena aprovação do Congresso Nacional, a carteira de fronteiriço, que está em pleno uso na fronteira do Uruguai com o Rio Grande do Sul.

Pode-se dizer que ali os trabalhadores que vivem na faixa até 25 Km para dentro do Uruguai ou 25 Km para dentro do Brasil têm dupla cidadania, têm os mesmos direitos, podem usufruir de todos os benefícios no Brasil ou no Uruguai.

Logo essa carteira estará em vigor também para os nossos vizinhos argentinos”, afirmou o senador Sérgio Zambiasi.

O senador Zambiasi acredita que a instalação do Parlamento do Mercosul trará como conseqüência a harmonização de normas comuns dos países pertencentes ao bloco, permitindo, entre outros temas, a integração social de milhares de ilegais que vivem no Brasil e em outros países da América do Sul sob regime escravo, explorados muitas vezes por outros ilegais que também vivem nestes países.

Agência Trabalhista de Notícias