Zambiasi relaciona estragos provocados por temporais na região Sul

PTB Notícias 11/09/2009, 9:06


O senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS) relatou da tribuna, nesta quinta-feira (10/9), os estragos provocados pelos temporais que assolam a Região Sul.

Somente nesta semana, no Rio Grande do Sul, segundo o parlamentar, o temporal danificou cerca de três mil residências, deixando milhares de pessoas desabrigadas e outros incontáveisprejuízos, levando vários municípios a decretar situação de emergência.

– A situação é realmente calamitosa e neste momento é urgente a ação imediata do governo federal, por meio da Secretaria Nacional da Defesa Civil, para socorrer as milhares de pessoas que estão desabrigadas em função das chuvas – afirmou o senador gaúcho.

Zambiasi enalteceu a corrente de solidariedade que está sendo formada entre moradores das áreas atingidas para a reconstrução das casas destruídas.

Destacou ainda a mobilização da bancada gaúcha no Congresso Nacional para definir ações junto ao governo no sentido de liberar recursos para socorrer as pessoas e cidades atingidas.

– Trata-se de um esforço coletivo, para que possamos ao menos minorar o sofrimento de pessoas que, em sua maioria, perderam tudo o que tinham devido a esse desastre natural – ressaltou.

Ele também anunciou que os temporais ocorridos nas últimas semanas devem continuar ainda pelos próximos dois meses e meio, segundo prognóstico do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e do Centro de Pesquisas e Previsões Meteorológicas da Universidade Federal de Pelotas.

Protocolo de KyotoA explicação para o aumento das chuvas e as mudanças climáticas, como um todo, segundo o parlamentar, está no desmatamento da Floresta Amazônica e na poluição.

Para enfrentar esses problemas, Zambiasi lembrou do compromisso assumido em 2005 por 175 países, que assinaram o Protocolo de Kyoto, com o objetivoreduzir as emissões de gases até 2012.

– Mas alguns dos principais poluidores, como os Estados Unidos, não estão entre os signatários – lamentou o senador.

Zambiasi alertou aos colegas que o século 21 exigirá dos governantes atenção especial para as diversas questões ambientais e seus impactos sociais, econômicos e políticos, que poderão “gerar mais guerras do que as desencadeadas pela disputa pelo petróleo e pelas questões ideológicas”.

fonte: Agência Senado