Zona Franca do Semiárido Nordestino vai revolucionar a região, diz Wilson

PTB Notícias 20/10/2015, 19:12


Ao defender a criação da Zona Franca do Semiárido Nordestino, o deputado Wilson Filho (PTB-PB) afirmou que a medida vai revolucionar a economia de todo o Nordeste.

O parlamentar é autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) (http://www2.

camara.

leg.

br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=500312″ target=”_blank) 19/11, que cria a zona franca com características de área de livre comércio para exportação e importação, com incentivos fiscais, pelo prazo de 30 anos.

A PEC confere ao governo federal a atribuição de demarcar a área de forma contínua, com círculo de raio mínimo de 100 quilômetros e centro no município de Cajazeiras (PB).

“É uma oportunidade que o Nordeste terá de crescer, assim como a região Norte teve com a Zona Franca de Manaus (ZFM).

O Norte não tinha praticamente nada quando foi criada a ZFM.

Hoje, o Nordeste está na mesma situação.

O alto sertão vive o quarto ano de seca consecutiva.

Não tem sequer o item mais básico: a água.

Não existe nenhum tipo de indústria, comércio e meios de gerar empregos”, afirmou Wilson Filho.

De acordo com o deputado, 80% dos municípios nordestinos têm nas prefeituras a maior fonte de emprego, o que faz com que as pessoas dependam muito de favores políticos para conseguir empregos.

“Temos que criar meios de dar independência financeira aos cidadãos, para que tenham empregos independentes da política, para que tenham qualidade de vida”, disse.

Uma comissão especial está analisando a PEC 19/11, que havia sido arquivada automaticamente com o fim da legislatura passada, mas foi desarquivada em fevereiro.

Em dezembro de 2014, a comissão tentou votar o parecer do relator, deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), que aumentou a abrangência geográfica da zona franca, mas o texto não chegou a ser analisado.

A proposta original de Wilson Filho prevê que a área beneficiada abrangerá, além da Paraíba, municípios de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará.

Patriota apresentou um substitutivo propondo a ampliação do raio mínimo de 100 para 250 quilômetros.

A mudança, segundo o relator, torna mais justa a distribuição dos benefícios econômicos entre os estados do seminário nordestino.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos DeputadosFoto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados